THIAGO FRANCO BALIEIRO

CORPO

Os encontros são divididos em dois blocos: 

- Um profundo alongamento, com duração aproximada de duas horas, que permite aos artistas ganharem maior consciência de toda sua estrutura muscular, relaxando e preparando o corpo para as atividades a serem desenvolvidas; 
- Exercícios desenvolvidos pelo Eco Teatral que, possibilita aos artistas desenvolver diversas habilidades fundamentais para o trabalho no palco, como a relação e troca de energias, desenvolvimento da visão periférica, construção e desconstrução de gestos, ritmo, propriocepção, entre outros. O objetivo principal é que o artista, com o treinamento contínuo, evolua em suas capacidades, o que reflete de forma direta e positiva para seu trabalho em cena. 

SOBRE THIAGO FRANCO BALIEIRO

          Sua formação consiste por passagens pelo Centro de Pesquisa Teatral (CPT), Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo (EAD/USP), e o curso de Filosofia do Mosteiro de São Bento em São Paulo. Como diretor do Eco Teatral, realizou os trabalhos O APOCALIPSE DE UM DIRETOR (2019), HOMO PATITUR (2017), EDGAR (2014) e SALA DE ESPERA (2012), sendo este último agraciado com 10 prêmios. Como ator, participou das intervenções urbanas MAUÍSMO e A ÚLTIMA PALAVRA É A PENÚLTIMA com o Teatro da Vertigem, e as peças OS 120 DIAS DE SODOMA com a Cia. Os Satyros, EL TRUCO e CINE BELVEDERE com a Cia. Bruta de Arte e direção de Roberto Audio, e participou dos processos de montagem de A FALECIDA e POLICARPO QUARESMA dirigidos por Antunes Filho. No cinema, participou dos filmes RIOCORRENTE de Paulo Sacramento, XINGU de Cao Hamburguer e CORAÇÕES SUJOS de Vicente Amorim, piloto para série 3%, entre outros. Como professor lecionou História do Cinema e Treinamento Corporal no Studio Fátima Toledo e diversas oficinas corporais na sede do Eco Teatral.

© 2012 by Eco Teatral